O que é ser normal?

A vida em sociedade exige a criação de normas e regras que visam à boa convivência e o bem estar comum, que são determinadas a partir da cultura em que estão inseridas. Somando-se a isso, grupos religiosos, sociais e acadêmicos, por exemplo, também contribuem na formação do que é dito normal ou anormal.

Em culturas muito diferentes, o que é normal em um meio pode ser considerado anormal ou até ofensivo em outro: passar a mão na cabeça de uma criança no Brasil é uma atitude que demonstra afeição, porém em algumas culturas orientais é um gesto extremamente ofensivo. Em épocas antigas, existiam hábitos que eram considerados normais e que hoje são condenáveis pela sociedade.

Para tentar entender as fronteiras da normalidade, é preciso considerar, em primeiro lugar, o ponto de referência e se há algum prejuízo significativo para alguém ou para o ambiente. O conceito do que é normal varia muito de um indivíduo para outro, mas quando o equilíbrio é afetado, torna-se explícito que houve um rompimento com a normalidade, podendo gerar dor e sofrimento.

Em termos de saúde mental, consideramos anormal um hábito, comportamento ou sentimento que traga sofrimento ou prejuízo para um indivíduo ou para o meio em que este esteja inserido. Sempre é preciso considerar as convicções individuais de uma pessoa para entender que muitas vezes o normal para um pode ser anormal para outro.

Texto Publicado no Jornal Correio Carioca
Ano VIII – nº 72